2012-08-30

O que é uma Estrutura Análitica de Projetos (EAP)?

Uma ferramenta essencial no gerenciamento de projeto para definição do escopo é a  Estrutura Análitica de Projetos (EAP).

Definição da EAP e Entregas

A EAP é um processo para subdividir os trabalhos em um projeto. Dessa forma, os trabalhos tornam-se componentes menores e mais simples de serem gerenciados. Ela é uma representação hierárquica das entregas de um projeto.

As entregas são qualquer produto, resultado ou capacidade para realizar um serviço único e verificável que dever ser produzido para concluir um processo, uma fase ou um projeto (conforme o Guia PMBOK® Quarta Edição).

Simplificando, a EAP dividirá o projeto em entregas.

Quebrando o projeto em pacotes

O objetivo da EAP é decompor o projeto em componentes que possam ser agendados, ter seu custo estimado, monitorado e controlado (Guia PMBOK® Quarta Edição).

Esses componentes são chamados pacotes de trabalho.

Eles representam o nível mais baixo da EAP e formam os componentes fundamentais do projeto.

Portanto ao fazer uma EAP estamos utilizando um processo de “quebra” do que deve ser entregue pelo projeto e registrando isso, de forma que fique claro o que deve ser realizado em um projeto.

Como fazer uma EAP

A EAP possui o nível superior onde geralmente é colocado o nome do projeto.

O segundo nível logo abaixo são os itens que começcam definir o que deve ser entregue. Eles podem estar subdividos em mais itens até que a EAP contenha tudo o que deve ser entregue no projeto.  Os itens finais são os pacotes de trabalho.

Como vimos os pacotes de trabalho são gerenciaveis, na minha opinião, principalmente do ponto de vista de tempo e custo. Eles facilitarão a visualização do que deve ser entregue tanto para o Gerente de Projetos como para os demais interessados no projeto, principalmente os Patrocinadores e Usuários Finais.

Abaixo segue um exemplo (simplificado) de uma EAP de um projeto para construção de uma casa:

Casa

O primeiro nível representa o projeto “Casa”.

O segundo nível representa a divisão escolhida das entregas do projeto. Estando também incluído o próprio gerenciamento do projeto, pois o Gerenciamento do Projeto é parte do escopo e gera suas entregas como qualquer outra parte do projeto.

O terceiro nível já possui itens onde podemos visualizar de forma clara o que deve ser entregue, por exemplo, o “Projeto Civil”. Ele será um documento gerado pelo Engenheiro Civil que terá seu custo e prazos monitorados pelo Gerente de Projetos.

Ao detalhar os níveis da EAP é importante ter em mente A Regra do 100%. Ela define que a EAP inclui 100% do trabalho definido pelo escopo do projeto e captura todas as entregas (internas, externas e intermediárias) em termos de trabalho a ser completado, incluindo o gerenciamento do projeto. A regra se aplica a todos os níveis dentro da hierárquia: a soma do trabalho no nível inferior deve se igualar a 100% do trabalho representado pelo nível superior e a EAP não deve incluir qualquer trabalho que esteja fora do escopo do projeto, ou seja, não pode incluir mais do que 100% do trabalho. 

Conclusões

A EAP é de fundamental importância ao projeto pois ajuda a definir e visualizar os pacotes de trabalhos a serem entregues em um projeto. Serve como instrumento de apoio a gestão do projeto e ajuda o Gerente de Projetos a mostrar o conteúdo do projeto de forma estruturada.

Pretendo postar mais sobre esse assunto futuramente. Façam comentários!

2 comentários:

  1. Cláudia Portomaio 16, 2013 7:45 AM

    Muito boa a matéria. Simples e objetiva.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado! Continue lendo e enviando sugestões/opiniões...

    ResponderExcluir